collapse

Autor Tópico: Engodo: a "essencia" da pesca ao feeder  (Lida 26385 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline kalvas

  • Gestor do Pesqueiro
  • Marlin
  • *****
  • Mensagens: 14197
  • Agradecido: 901 vezes
    • Sintra
  • No Pesqueiro desde:
  • 20:48 Segunda, 30 de Dezembro de 2013
Re: Engodo: a "essencia" da pesca ao feeder
« Responder #15 em: 23:16 Terça, 20 de Outubro de 2015 »
Não está autorizado a ver ligações. Registe-se ou Entre
obrigado pela força, continue atento talvez até escolha aventurar-se nesta modalidade ;)

Relembro-lhe o 1º parágrafo. ;)

Não está autorizado a ver ligações. Registe-se ou Entre
Também pratico a francesa quando há tempo e disponibilidade.Alias é a minha pesca .


Não há amor como o 1º.
Mas quem sabe uma inglesa...

Abraço.
Trabalhador por obrigação ; pescador por gosto.
 

Offline JVieira

  • Marlin
  • *****
  • Mensagens: 3397
  • Agradecido: 541 vezes
    • Pnf city
  • No Pesqueiro desde:
  • 13:02 Sexta, 17 de Janeiro de 2014
Re: Engodo: a "essencia" da pesca ao feeder
« Responder #16 em: 00:17 Quarta, 21 de Outubro de 2015 »
Não está autorizado a ver ligações. Registe-se ou Entre

Não há amor como o 1º.
Mas quem sabe uma inglesa...


Cuidado com isso da inglesa... pois podes ganhar um par de canadianas!  :mrgreen:

Um abraço,
(que boa pesca... não se deseja a ninguém)

José Vieira
 

Offline José Garcez

  • Marlin
  • *****
  • Mensagens: 1675
  • Agradecido: 5 vezes
    • Leça do Balio
  • No Pesqueiro desde:
  • 20:11 Segunda, 23 de Dezembro de 2013
Re: Engodo: a "essencia" da pesca ao feeder
« Responder #17 em: 01:33 Quarta, 21 de Outubro de 2015 »
Boas,

Agora estou numa fase mais "maritima" :)) mas quando as saudades de uma pesquinha em águas doces apertam, lá vou eu para uma inglesa, bolonhesa ou "feeder". Prefiro engodar com o isco com que vou pescar, por ex. se pesco com asticot ou pinkies, engodo com asticot ou pinkies, colados ou soltos conforme as àguas e a profundidade que o peixe está a comer e ir "atiçando" o apetite com cânhamo cozido. Se o peixe não colaborar recorro as farinhas para ver se atraio algum peixe para o pesqueiro.

Quando pesco com o "feeder" prefiro usar o engodador perfurado cheio com asticot à mola com a farinha de engodo. No entanto, deixo aqui uma "receita" que uso quando pesco com farinhas, que também funcionará na pesca com "feeder" se os peixes assim quizerem :))

Utilizo um engodo de fundo,  normalmente uso o amorim por uma questão de gosto pessoal, onde adiciono, puré de batata instantaneo (amido), restos de pão ou pão ralado e ração para gado, coelhos, aves, etc :D, uma pitada de erva doce ou outro aromatizante, tipo o barbix, carpix, o que seja. Nada de muito sofisticado, mas tem dado alguns resultados para os barbos, gardons, pimpōes e carpas :)

Abraço
"Ninguém é tão ignorante que não tenha algo a ensinar. Ninguém é tão sábio que não tenha algo a aprender" Blaise Pascal
 

Offline dpeneireiro

  • Marlin
  • *****
  • Mensagens: 1211
  • Agradecido: 67 vezes
  • Pescar não é somente apanhar peixe.
    • Tomar
  • No Pesqueiro desde:
  • 15:03 Quinta, 26 de Dezembro de 2013
Re: Engodo: a "essencia" da pesca ao feeder
« Responder #18 em: 10:47 Quarta, 21 de Outubro de 2015 »
Boas...

Eu quando dei as minhas "receitas" mais atrás posso ter sido mal interpretado.


Para mim fisgar é engodar, não sabia que se consideravam coisas diferentes. Eu mando o cânhamo, os bichos, o trigo, o milho... com a fisga e maioritariamente solto, só o colo se a corrente estiver mais forte.

Por vezes, antes de começar a pesca faço uma bola de engodo comercial vermelho pequena para o local onde vou colocar as pescas para chamar o peixe e depois, ao longo do tempo só fisgo o trigo ou bicho ou o que for em doses muito pequenas para manter algum peixe que lá ande.

Essa bola vermelha inicial, muitas vezes nem uso, como já foi dito chama muito peixe miúdo... mas se for num concurso (desses de brincadeira) e o local for propicio que venha o peixe pequeno... já se ganharam muitos concursos em Tomar com as boguitas.

Uma coisa que me indicaram há muitos anos também, foi usar os restos dos pasteleiros... desde restos de bolos velhos moídos à mistura de massas ainda em cru como "colante". As carpas são gulosas e há pessoal que diz que esses restos são terríveis, eu nunca experimentei pois não tenho pasteleiros perto mas pode fazer sentido.

Entretanto o Sr. Hugo também indica lá na receita farinha 115: isso é farinha para os pintos e galinhas não é? Quando era puto usava muito isso em granulado, era o que tinha mais à mão e funcionava muito bem. Deixei de usar pois não só acho que passou a ser interdito devido às hormonas e antibióticos que contém, mas também devido ao que supostamente faz aos peixes. A malta mais aficionada que eu conhecia, e que indiretamente me desincentivou com os seus relatos a usar isso diziam que o peixe apanhado em algumas barragens já nem se podia comer devido ao uso massificado desse tipo de engodos. Não sei se faz sentido ou não até porque as galinhas o comem mas... verdade é que deixei de usar. Será assim efetivamente?

Abraço

 

Offline Hugo Tarrafa

  • Robalo
  • ***
  • Mensagens: 140
  • Agradecido: 5 vezes
    • Pampilhosa
  • No Pesqueiro desde:
  • 15:29 Sábado, 10 de Outubro de 2015
Re: Engodo: a "essencia" da pesca ao feeder
« Responder #19 em: 15:01 Quarta, 21 de Outubro de 2015 »
Não está autorizado a ver ligações. Registe-se ou Entre
Boas...

Eu quando dei as minhas "receitas" mais atrás posso ter sido mal interpretado.


Para mim fisgar é engodar, não sabia que se consideravam coisas diferentes. Eu mando o cânhamo, os bichos, o trigo, o milho... com a fisga e maioritariamente solto, só o colo se a corrente estiver mais forte.

Por vezes, antes de começar a pesca faço uma bola de engodo comercial vermelho pequena para o local onde vou colocar as pescas para chamar o peixe e depois, ao longo do tempo só fisgo o trigo ou bicho ou o que for em doses muito pequenas para manter algum peixe que lá ande.

Essa bola vermelha inicial, muitas vezes nem uso, como já foi dito chama muito peixe miúdo... mas se for num concurso (desses de brincadeira) e o local for propicio que venha o peixe pequeno... já se ganharam muitos concursos em Tomar com as boguitas.

Uma coisa que me indicaram há muitos anos também, foi usar os restos dos pasteleiros... desde restos de bolos velhos moídos à mistura de massas ainda em cru como "colante". As carpas são gulosas e há pessoal que diz que esses restos são terríveis, eu nunca experimentei pois não tenho pasteleiros perto mas pode fazer sentido.

Entretanto o Sr. Hugo também indica lá na receita farinha 115: isso é farinha para os pintos e galinhas não é? Quando era puto usava muito isso em granulado, era o que tinha mais à mão e funcionava muito bem. Deixei de usar pois não só acho que passou a ser interdito devido às hormonas e antibióticos que contém, mas também devido ao que supostamente faz aos peixes. A malta mais aficionada que eu conhecia, e que indiretamente me desincentivou com os seus relatos a usar isso diziam que o peixe apanhado em algumas barragens já nem se podia comer devido ao uso massificado desse tipo de engodos. Não sei se faz sentido ou não até porque as galinhas o comem mas... verdade é que deixei de usar. Será assim efetivamente?

Abraço




Muito bem, efectivamente fisgar é engodar de uma forma especifica, daí a distinção técnica mas é engodo à mesma :)

Pescando ao feeder não é possível fisgar como devem compreender :)  Restos de massas de pastelaria fazem sentido para mim, se e só se amassados com um elemento mais dispersante uma vez que esses restos são SUPER COLANTES e tal como disse ao abrir o tópico, é necessário um equilibrio. Imaginem a bola disso dentro de água: não só não se desfaz em pedaços comestíveis como não propaga bem o seu aroma o que pode ser um problema... o meu conselho seria cozer esses restos de massas, ra-lá-los e incorporá-los num engodo com farinha de canhamo por exemplo :)

Quanto à farinha 115... a minha avó cria pitos, dá-lhes dessa farinha e mesmo assim nem se comparam com os de compra em sabor e não creio que o uso de engodos com este produto faça tanto mal assim ao peixe, sendo que o uso de qualquer engodo em águas paradas deve ser feito com parcimónia. Eu continuarei a usar, sempre com responsabilidade claro :)

Obrigado Saúde e boas Pescarias !! ;)   
 

Offline Hugo Tarrafa

  • Robalo
  • ***
  • Mensagens: 140
  • Agradecido: 5 vezes
    • Pampilhosa
  • No Pesqueiro desde:
  • 15:29 Sábado, 10 de Outubro de 2015
Re: Engodo: a "essencia" da pesca ao feeder
« Responder #20 em: 15:08 Quarta, 21 de Outubro de 2015 »
Não está autorizado a ver ligações. Registe-se ou Entre
Boas,

Agora estou numa fase mais "maritima" :)) mas quando as saudades de uma pesquinha em águas doces apertam, lá vou eu para uma inglesa, bolonhesa ou "feeder". Prefiro engodar com o isco com que vou pescar, por ex. se pesco com asticot ou pinkies, engodo com asticot ou pinkies, colados ou soltos conforme as àguas e a profundidade que o peixe está a comer e ir "atiçando" o apetite com cânhamo cozido. Se o peixe não colaborar recorro as farinhas para ver se atraio algum peixe para o pesqueiro.

Quando pesco com o "feeder" prefiro usar o engodador perfurado cheio com asticot à mola com a farinha de engodo. No entanto, deixo aqui uma "receita" que uso quando pesco com farinhas, que também funcionará na pesca com "feeder" se os peixes assim quizerem :))

Utilizo um engodo de fundo,  normalmente uso o amorim por uma questão de gosto pessoal, onde adiciono, puré de batata instantaneo (amido), restos de pão ou pão ralado e ração para gado, coelhos, aves, etc :D, uma pitada de erva doce ou outro aromatizante, tipo o barbix, carpix, o que seja. Nada de muito sofisticado, mas tem dado alguns resultados para os barbos, gardons, pimpōes e carpas :)

Abraço


 Obrigado pela partilha :)
Eu também gosto de usar asticot solto em feeders fechados e iscar com asticot ou o mesmo com pinkies ... mas só o uso para tirar Barbos em certos locais ( maior parte do Mondego zona Coimbra Cidade por exemplo ). Para Bogas e Carpas prefiro engodos doces à base de farinhas como o que já apresentei ou outros semelhantes que irei postar ao longo deste tópico. Também gosto muito de engodos salgados para Barbo :)

Saúde e boas pescarias !! ;)
 

Offline jmet

  • Robalo
  • ***
  • Mensagens: 219
  • Agradecido: 48 vezes
    • Lisboa
  • No Pesqueiro desde:
  • 16:09 Quinta, 26 de Dezembro de 2013
Re: Engodo: a "essencia" da pesca ao feeder
« Responder #21 em: 15:12 Quarta, 21 de Outubro de 2015 »

Amigo Hugo

As minhas desculpas por ter sido um pouco duro com o seu primeiro post.

Primeiro, não me apercebi correctamente do espírito da coisa. Fui ligeiro e precipitado.

Depois, reagi por deformação de profissional da comunicação, a qual tem uma regra sagrada que é a de dar sempre qualquer coisa de interessante aos leitores logo nas primeiras linhas de um texto, para os "agarrar" à leitura.

Posto isto, apresento as minhas desculpas.

E posso dizer que a sua iniciativa é interessantíssima e já um êxito, o que muito me apraz registar.

Continue, meu caro jovem, e desde já o meu muito obrigado.

Renovando o meu pedido de desculpas, peço-lhe que aceite um grande abraço da minha parte.

JMET
 

Offline Rider

  • Assessor do Pesqueiro
  • Marlin
  • *****
  • Mensagens: 15836
  • Agradecido: 1004 vezes
    • Cartaxo - Baleal
  • No Pesqueiro desde:
  • 23:41 Segunda, 23 de Dezembro de 2013
Re: Engodo: a "essencia" da pesca ao feeder
« Responder #22 em: 15:15 Quarta, 21 de Outubro de 2015 »
Faço muito pouco pesca de aguas interiores, e quando o faço é á inglesa e raras vezes á francesa.
Normalmente o engodo que uso é fisgado, trigo cozido, asticot e ás vezes cânhamo ( também ouvi que era proibida a venda ).
Também já ouvi qualquer coisa de a farinha para os pintos ser proibida.
Tenho um tio que fez competição de aguas interiores, e sei que usou muito, mas não sei a certeza.
Quanto ao uso moderado do engodo, principalmente em barragens, lagos lagoas, etc.. em que as aguas são paradas, diferente de rio por ex., pode ser um problema.
Não sei se conhecem a barragem do Patudos, está com um problema enorme devido ás toneladas de engodo que foi usado. A solução passa por despejar completamente a barragem e fazer uma limpeza ao fundo ou proibir a pescar por vários anos, ainda está em estudo.
Espera o melhor, prepara-te para o pior e aceita o que vier.

Cumprimentos,
José Matos
 

Offline Hugo Tarrafa

  • Robalo
  • ***
  • Mensagens: 140
  • Agradecido: 5 vezes
    • Pampilhosa
  • No Pesqueiro desde:
  • 15:29 Sábado, 10 de Outubro de 2015
Re: Engodo: a "essencia" da pesca ao feeder
« Responder #23 em: 15:20 Quarta, 21 de Outubro de 2015 »
Não está autorizado a ver ligações. Registe-se ou Entre

Amigo Hugo

As minhas desculpas por ter sido um pouco duro com o seu primeiro post.

Primeiro, não me apercebi correctamente do espírito da coisa. Fui ligeiro e precipitado.

Depois, reagi por deformação de profissional da comunicação, a qual tem uma regra sagrada que é a de dar sempre qualquer coisa de interessante aos leitores logo nas primeiras linhas de um texto, para os "agarrar" à leitura.

Posto isto, apresento as minhas desculpas.

E posso dizer que a sua iniciativa é interessantíssima e já um êxito, o que muito me apraz registar.

Continue, meu caro jovem, e desde já o meu muito obrigado.

Renovando o meu pedido de desculpas, peço-lhe que aceite um grande abraço da minha parte.

JMET


Abraço aceite e transgressão esquecida meu caro, também há a denotar que tal como o amigo eu próprio me regi pelos parâmetros da minha actividade académica :a filosofia.
Talvez por isso este choque, a doxa versus sofia ... não deixa de ser engraçado não concorda ? :D

Da minha parte um abraço e votos que participe mais activamente nesta secção ;)
 

Offline A Machado

  • Marlin
  • *****
  • Mensagens: 4030
  • Agradecido: 185 vezes
  • Eu...hum... eu é que sou o Comendador.....
    • Braga VVD
  • No Pesqueiro desde:
  • 12:21 Segunda, 28 de Julho de 2014
Re: Engodo: a "essencia" da pesca ao feeder
« Responder #24 em: 16:25 Quarta, 21 de Outubro de 2015 »
Amigo Hugo,

ainda bem que tudo está bem e pacificado, no entanto, convém continuar a investir algum tempo na pesquisa de um engodo marítimo, ligeirinho e que, não me livrando do cheiro pestilento da sardinha (já está meio esclarecido), possa pelo menos diminuí-lo  :D ;)

Aguardo em pulgas, a nova receita de engodo de sardinha com aroma de Barca Velha, é só uma sugestão delirante.. 
Os políticos e as fraldas devem ser mudados frequentemente e pela mesma razão (Eça de Queiroz)
 

Offline José Garcez

  • Marlin
  • *****
  • Mensagens: 1675
  • Agradecido: 5 vezes
    • Leça do Balio
  • No Pesqueiro desde:
  • 20:11 Segunda, 23 de Dezembro de 2013
Re: Engodo: a "essencia" da pesca ao feeder
« Responder #25 em: 16:34 Quarta, 21 de Outubro de 2015 »
Machado,

Em vez de sardinha fresca ou congelada, usa sardinha em lata :)) é mais caro mas não fica tanto cheiro :)) para pescar o mugem em água doce, misturada com pão ralado ou farinhas é uma maravilha :D
"Ninguém é tão ignorante que não tenha algo a ensinar. Ninguém é tão sábio que não tenha algo a aprender" Blaise Pascal
 

Offline nelson sampaio

Re: Engodo: a "essencia" da pesca ao feeder
« Responder #26 em: 16:47 Quarta, 21 de Outubro de 2015 »
para pescar barbos gosto de engodar com asticot colado
 

Offline nelson sampaio

Re: Engodo: a "essencia" da pesca ao feeder
« Responder #27 em: 16:48 Quarta, 21 de Outubro de 2015 »
Não está autorizado a ver ligações. Registe-se ou Entre
Machado,

Em vez de sardinha fresca ou congelada, usa sardinha em lata :)) é mais caro mas não fica tanto cheiro :)) para pescar o mugem em água doce, misturada com pão ralado ou farinhas é uma maravilha :D

uma receita muito usada na lagoa em lever para pescar tainhas
e com resultados
 

Offline dpeneireiro

  • Marlin
  • *****
  • Mensagens: 1211
  • Agradecido: 67 vezes
  • Pescar não é somente apanhar peixe.
    • Tomar
  • No Pesqueiro desde:
  • 15:03 Quinta, 26 de Dezembro de 2013
Re: Engodo: a "essencia" da pesca ao feeder
« Responder #28 em: 17:14 Quarta, 21 de Outubro de 2015 »
Não está autorizado a ver ligações. Registe-se ou Entre
Normalmente o engodo que uso é fisgado, trigo cozido, asticot e ás vezes cânhamo ( também ouvi que era proibida a venda ).
Também já ouvi qualquer coisa de a farinha para os pintos ser proibida.
Tenho um tio que fez competição de aguas interiores, e sei que usou muito, mas não sei a certeza.
Quanto ao uso moderado do engodo, principalmente em barragens, lagos lagoas, etc.. em que as aguas são paradas, diferente de rio por ex., pode ser um problema.
Não sei se conhecem a barragem do Patudos, está com um problema enorme devido ás toneladas de engodo que foi usado. A solução passa por despejar completamente a barragem e fazer uma limpeza ao fundo ou proibir a pescar por vários anos, ainda está em estudo.

É isso mesmo... um dos exemplos é os patudos, outro o maranhão... pesca intensiva em águas paradas com muito engodo acaba por "inquinar" as águas, nomeadamente com os antibióticos incorporados nas farinhas. Mas isso é o que ouvi dizer... dai a ser verdade já são outros quinhentos. Tal como a interdição desse tipo de farinhas nos engodos para pesca.

Note-se que não estou a criticar nem a condenar... eu deixei de usar porque me fez algum sentido há muitos anos... não sei se assim é ou não. Apenas introduzi o tema porque realmente gostava de saber um pouco mais sobre o assunto.

Quanto ao cânhamo, tenho uma história enraçada: eu quando era puto e queria saber de pesca, aventurei-me na leitura de uns livros da biblioteca (não haviam fóruns, não conhecia pescadores e o tipo da loja onde ia percebia menos que eu) onde bebi muito conhecimento da altura. Às páginas tantas encontrei um livro velhíssimo com uma receita de engodo que consistia em misturar trigo, milho, ervilhaca, açúcar... e cânhamo. Isto em 1990.
Como me pareceu bem e o autor garantia resultados históricos, lá fui eu adquirir os ingredientes à loja das sementes. Pedi o  milho, mais uns grão disto e outros daquilo, e quando chegou ao cânhamo o vendedor olhou-me estranhamente e disse que isso não tinha. Eu puto, achei esquisito uma loja com sacos de sementes espalhados por todo o lado (a mais diversificada que conhecia)  não ter uma coisa tão simples, que o dito livro indicava ser de fácil obtenção, mas não me fiquei e perguntei então onde o poderia adquirir - "Isso serve para fazer droga e está proibida a sua venda". Hehe fiquei um pouco obtuso... então eu queria "produto" para migar e enfiar nos charros  >:D >:D >:D.

Entretanto nos dias de hoje encontro já confecionado na casa de pesca onde me avio e cujo proprietário afirma que já processado se pode vender e que existe uma variante (ou espécie) inócua que mesmo em grão se pode comprar.  Para o barbo do nabão é um petisco.

Desculpem o off-topic.

Já agora, para carpas cozo o trigo com açucar. Mais alguém faz o mesmo?

Não está autorizado a ver ligações. Registe-se ou Entre
Restos de massas de pastelaria fazem sentido para mim, se e só se amassados com um elemento mais dispersante uma vez que esses restos são SUPER COLANTES e tal como disse ao abrir o tópico, é necessário um equilibrio. Imaginem a bola disso dentro de água: não só não se desfaz em pedaços comestíveis como não propaga bem o seu aroma o que pode ser um problema... o meu conselho seria cozer esses restos de massas, ra-lá-los e incorporá-los num engodo com farinha de canhamo por exemplo :)

Eu quando falei nessas massas era esse mesmo o conceito: as massas, os bolos dos dias anteriores migados, os restos de farinhas etc... eles juntam isso tudo e nós em casa fazemos farinha com isso. A farinha fica mais ou menos colada consoante o teor de massa amassada (humida), mas nós depois cortamos mais ou menos e juntamos ainda os cereais para dar um complemento. A farinha obtida com os restos de bolos e massas seriam usadas como engodo comercial, como alguns fazem (juntam os cereais cozidos ao engodo comercial).

Claro que no feeder se calhar teríamos que ter mais cuidado com a consistência para não ficar com o dispersor (feeder) entupido e a mistura se ir soltando aos poucos, se isso fizer algum sentido.

Abraço
« Última modificação: 17:16 Quarta, 21 de Outubro de 2015 por dpeneireiro »
 

Offline Hugo Tarrafa

  • Robalo
  • ***
  • Mensagens: 140
  • Agradecido: 5 vezes
    • Pampilhosa
  • No Pesqueiro desde:
  • 15:29 Sábado, 10 de Outubro de 2015
Re: Engodo: a "essencia" da pesca ao feeder
« Responder #29 em: 17:40 Quarta, 21 de Outubro de 2015 »
Não está autorizado a ver ligações. Registe-se ou Entre
Amigo Hugo,

ainda bem que tudo está bem e pacificado, no entanto, convém continuar a investir algum tempo na pesquisa de um engodo marítimo, ligeirinho e que, não me livrando do cheiro pestilento da sardinha (já está meio esclarecido), possa pelo menos diminuí-lo  :D ;)

Aguardo em pulgas, a nova receita de engodo de sardinha com aroma de Barca Velha, é só uma sugestão delirante.. 


AHAHAH como lhe disse ainda está em construção e não gosto muito de fazer divulgações sobre produtos inacabados antes que receba  umas críticas daquelas :D ...mas desta vez vou abrir uma pequena excepção para revelar apenas algumas ideias que me andam a pairar pela mente e que tenho testado (não tanto como queria  :'( )

Para evitar a pestilencia da Sardinha ( que não dispenso num engodo de água salgada devo acrescentar ) procure integrar as seguintes ideias nos seus engodos :

1- o óleo recolhido das latas de atum em conserva pode ser conservado em garrafas de plástico e é um excelente aditivo cheio de nutrição e aroma com um extra... ao atribuir ao seu engodo um elemento oleoso, faz com que este não se dissolva com a mesma facilidade na água, uma vez que as farinhas impregnadas de óleo se "impermeabilizam" de certa forma, preservando a sua constituição por um pouco mais de tempo.

2- Crustáceos : eles adoram e nós também não é mesmo? O ideal seria apanhar crustáceos na hora e pisá-los e adicionar às nossas farinhas ou incorporar uma farinha de crustáceos à nossa mistura .... versão para poupar : algumas ( 1 por kg de engodo) saquetas de creme de marisco instantâneo daquelas de marca branca que custam cerca de 70 cêntimos cada. Eu sei que não é a mesma coisa, mas adiciona poder atractivo ao engodo. Experimentei apenas duas ou três vezes e não nas melhores condições não posso dizer que foram as melhores pescarias da minha vida mas não gradei xD

3- pão ralado vermelho é uma boa farinha base colante para um engodo de mar, a sua cor potencia em geral qualquer engodo deste tipo ...para isso demolhe pão rijo numa solução (1:20) de corante vermelho e água e depois de bem ensopado esprema-o e desfaça-o à mão dispondo a pasta num tabuleiro. Leve ao forno até secar bem, deixe arrefecer e rá-le ou pique numa picadora



...  e pronto não se trata de pesca ao feeder mas deixa lá... são apenas algumas dicas espero que interessem a alguém :) 
 

 

* Tópicos Recentes

Roupa spinning por Eduardo7 [Hoje às 03:10]

guardem as velas velhas dos vossos carros, vão fazer falta!!! por amateus [21:03 Quarta, 27 de Outubro de 2021]

Cana para ria formosa por Peko [20:13 Quarta, 27 de Outubro de 2021]

Chumbadas de garra e linha do carreto em monofilamento por inc.pt [17:22 Quarta, 27 de Outubro de 2021]

Ajuda a escolher cana de surfcasting por carrageis [17:18 Quarta, 27 de Outubro de 2021]

Amostras spinning mar por Eduardo7 [15:05 Quarta, 27 de Outubro de 2021]

Botas rapala vs botas seac neoprene por Nelson Peres [12:50 Quarta, 27 de Outubro de 2021]

Pesqueiros Ribatejo por Rider [10:00 Quarta, 27 de Outubro de 2021]

Asticot no Mar por Márcio Coragem [19:25 Terça, 26 de Outubro de 2021]

Shock leader por Eduardo7 [13:37 Terça, 26 de Outubro de 2021]